CATÁLOGO PRODUTOS / MODELOS / TAMANHOS

PÃO DO CÉU - PÃO DE MEL ARTESANAL

PÃO DO CÉU - PÃO DE MEL ARTESANAL - O LEGÍTIMO PÃO DE MEL ALEMÃO

A Pão do Céu faz Pães de Mel e Mini Bolos personalizados, para você que está procurando Sabor e Criatividade.

Você está no lugar certo!

Não é só um bolinho coberto com um ótimo chocolate, é uma experiência sensorial. São ingredientes diferenciados, que juntos vão te fazer conhecer uma receita que há muito tempo estava na gaveta da vovó.

Nós, a família Pão do Céu produzimos de forma caseira os legítimos Pães de Mel, fofinhos, macios e com sabor surpreendente, seguindo a tradição européia.

As lembrancinhas em pão de mel da Pão do Céu são um mimo inesquecível oferecido aos convidados ou visitantes em qualquer evento e são deliciosos para serem saboreados a todo momento.
Desenvolvemos decorações personalizadas exclusivas de acordo com o tipo do evento, inclusive formaturas, aniversários, chá de lingerie, chá de maternidade, chá de fraldas, etc.

Experimente incluir o Pão de Mel entre as lembrancinhas de sua festa ou presentear alguém em ocasiões especiais. Atendimento especial para gestantes.

Consulte-nos
e-mail: souclientepaodemel@hotmail.com
ou pelos fones:
(51) 99964.3595 (vivo) /3222.7065.

HISTÓRIA DO CHOCOLATE



A amêndoa de cacau já era adorada pelos índios Maias há mais de 2000 anos. Em 1519, Hernando Cortez experimentou pela primeira vez o "Thocolath ou Xocoatl", uma bebida apreciada por Montezuma II, último imperador Asteca. Cortez observou também que a bebida era feita das sementes de um fruto estranho chamado "cacahuatt' (hoje cacau). Notou ainda que aquele povo tratava as amêndoas como um tesouro inestimável, o que aumentou ainda mais sua admiração pela nova descoberta. Imediatamente, Cortez trouxe o cacau para a Espanha, onde a bebida era preparada incluindo adoçantes e posteriormente aquecida. Sua fórmula foi mantida em segredo por anos e era apreciada pela nobreza européia, porém com alguma ressalva, pois era considerada uma bebida rústica e bárbara.



Em meados do século XVII, a bebida de chocolate ganhou fama e popularidade na França, pois, em 1615, a Rainha francesa Anne, esposa de Luiz XIII, declarou o chocolate como "A bebida da corte francesa". Tais acontecimentos levaram um francês a abrir a primeira loja do ramo em Londres e já no século XVIII as casas de chocolate eram tão famosas quanto as cafeterias.

                                     
 DUAS GRANDES IDÉIAS
Em 1828, Conrad Van Houten, um químico holandês, pensou em melhorar o sabor da bebida e inventou uma prensa que permitiu separar e retirar a manteiga de cacau da amêndoa, reduzindo assim o amargor e a acidez do chocolate. Em 1876, Daniel Peter, um doceiro suíço, teve a idéia de  adicionar leite ao chocolate, porém nunca chegava a um resultado satisfatório. Somente após oito anos de tentativas, levou seu produto até Henry Nestlé, um suíço fabricante de leite evaporado.


Nesta época, Nestlé já havia aprimorado sua receita de leite condensado. Ele e Peter resolveram adicionar leite condensado ao chocolate. Nasceu assim o chocolate ao leite. Peter também foi responsável pela criação do processo de conchagem, o qual confere ao chocolate uma textura mais fina e aveludada. O processo recebeu tal nome, pois as pás que mexiam e refinavam o produto possuíam formato de conchas. Foi então que, em 1879, Rodolphe Lindt pensou em adicionar a manteiga de cacau de volta ao chocolate, o que gerou um produto mais elaborado, que derretia na boca. Nascia assim o modelo padrão do chocolate que conhecemos atualmente.
                                                  

                                                      CURIOSIDADES

BRIGADEIRO 


Uma invenção brasileira. Conta-se que surgiu quando, em 1945, o brigadeiro Eduardo Gomes candidatou-se à Presidência da República pela UDN – União Democrática Nacional, concorrendo com o também militar, Eurico Gaspar Dutra.  
 Um grupo de mulheres que admiravam o brigadeiro Eduardo, moradoras do requintado bairro do Pacaembu, na cidade de São Paulo, organizou diversas festas em prol da sua candidatura. Diz a História que numa destas ocasiões, criaram um doce que misturava leite condensado, chocolate e manteiga, e o batizaram de “brigadeiro”, em sua homenagem. Assim a culinária brasileira ganhou essa delícia que tem adeptos em todo Brasil e se tornou mundialmente conhecida.

CUPCAKE 









É uma invenção inglesa. Trata-se de um bolinho assado em forminha de papel. Cup =  xícara, taça, recipiente e cake = bolo. Tradução: cupcake = bolo num recipiente ou bolo num vaso. 
 




TRUFA
um doce fino de chocolate com recheios variados.Trufa vem do frances truffe e do italiano tartufo. É o nome de um gênero de fungo subterrâneo da família tuberaceae, parecido com uma batata e  muito apreciado na Europa, um alimento nobre de valor elevadíssimo. As primeiras trufas de chocolate eram produzidas de uma massa a partir de chocolate nobre, creme de leite, glucose e conhaque, e depois eram banhadas de cacau em pó (pareciam realmente com o fungo-batata sujo de terra). Logo o doce recebeu o nome de trufa devido à sua semelhança com este cogumelo subterrâneo em aparência e refinamento.


BEM-CASADO  


 É uma variação das já famosas receitas de casadinhos portugueses.Estes doces são comuns até hoje em dia em Portugal, sendo assim um item indispensável nas festas e comemorações lusitanas. A diferença básica entre casadinho português e o bem-casado brasileiro é que a textura do casadinho português é mais densa.



Fonte: www.portalsaofrancisco.com.br; La historia del xocoatl, P.Hidalgo, Las Chicas, Mex.ed.1982 p.23.